História da Raça Akita Inu

Originalmente todas as raças caninas japonesas eram de pequeno e médio portes e não existiam raças de grande porte. Desde 1603, provindo da região de Akita, os cães chamados “Akitas Matagis” (cães de tamanho médio para caça ao urso), foram usados como cães de combate. A partir de 1868 os Akitas Matagis foram cruzados com o Tosa e com Mastiffs. Consequentemente, o talhe da raça aumentou, mas as características associadas com o “tipo Spitz”, foram perdidas.

Em 1908 foram proibidas as rinhas de cães, contudo, essa raça foi preservada e aperfeiçoada como uma grande raça japonesa. Como resultado, em 1931, nove excepcionais exemplares dessa raça foram designados como “Monumentos Históricos”.

Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a polícia ordenou a captura e confisco de todos os outros cães, exceto o Pastor Alemão, que era usado para fins militares. Muitos criadores aficionados tentaram enganar a lei, cruzando seus cães com o Pastor Alemão. Quando a Segunda Guerra Mundial terminou, o número de Akitas estava drasticamente reduzido e existiam em três tipos distintos: 1. Akitas Matagis. 2. Akitas de combate. 3. Akitas Pastores. Isso criou uma situação muito confusa na raça.

 

Após a Guerra, durante o processo de restauração da raça pura, Kongo-Go, um cão com linha de sangue “Dewa”, que exibia características do Mastiff e Pastor Alemão teve uma passageira, mas tremenda popularidade. O número de criadores de Akita aumenta e ganha muita popularidade. No entanto, os criadores esclarecidos recusaram-se a aceitar este tipo de cão como a verdadeira raça japonesa e se esforçaram para eliminar as características das raças estrangeiras fazendo cruzamentos com os Akitas Matagis, com o propósito de restabelecer o tipo original da raça. Eles foram bem sucedidos em estabilizar a linhagem pura de grande porte como é conhecida atualmente.

AKITAS DO PASSADO
EM EXPOSIÇÃO
Aparência Geral do Akita Inu

O Akita é um cão de grande porte, constituição robusta, bem balanceado e com muita substância. Tem os caracteres sexuais secundários nitidamente definidos, machos afeminados e fêmeas masculinizadas são falta no padrão. É um cão de grande nobreza e dignidade. A relação entre a altura da cernelha e o comprimento do corpo (da ponta dos ombros até a ponta da garupa) é de 10:11, mas o corpo é ligeiramente mais longo nas fêmeas que nos machos. 

Altura da cernelha é de 67 cm para Machos e 61 cm para Fêmeas com tolerância de 3 cm para mais ou para menos. O crânio é proporcional ao corpo com a testa larga, com um nítido sulco frontal e sem rugas. A Trufa (nariz) é ampla e preta porém é aceito apenas nos exemplares brancos uma leve e difusa falta de pigmentação. O focinho é moderadamente comprido e forte, com base ampla, afinando (até a ponta) mas não pontudo, com cano nasal reto e lábios justos. Olhos são relativamente pequenos, de formato triangulares devido à elevação do canto externo do olho, inseridos moderadamente separados, cor marrom escuro: quanto mais escuros melhor, sendo considerado falta os olhos com a íris clara. 

Temperamento

O temperamento do Akita é calmo, fiel, dócil e receptivo. Defensor intrépido do seu dono e sua família, é um cão de temperamento equilibrado e se socializado reconhece instintivamente o dono, o amigo do dono, o estranho e o intruso em seu território.

Pelagem e cores

O pelo externo é duro e reto, o subpelo é macio e denso. A cernelha e a garupa são revestidas com um pelo ligeiramente mais comprido, sendo na cauda mais longo que o do resto do corpo. As cores são: Vermelho, tigrado, branco e sésamo (pelos vermelho com as pontas pretas). Todas as cores acima mencionadas, exceto a branca, devem apresentar o “urajiro”, pelagem esbranquiçada nas laterais do focinho, nas bochechas, na face ventral da mandíbula, pescoço, peito, tronco e na face interna dos membros.

Clique aqui